terça-feira, 31 de março de 2009

Natureza feminina

Nós mulheres, somo bichos imprevisíveis. E às vezes insuportáveis. Ainda mais quando reunidas em um grande grupo, em que todas falam ao mesmo tempo e sentem-se tão íntimas umas das outras que acabam perdendo a noção do perigo.
Mulheres adoram dar colo, confortar e ser o ombro amigo mais próximo. Desde que não se encontre de TPM, que o cabelo não esteja o óh e que dor de cotovelo seja coisa de outros tempos. Somos egoístas quando queremos. Além de egoístas, más. Aquela maldade velada, dissimulada, que só uma mulher, do alto do seu salto 10, é capaz de praticar sem nem ao menos ser notada, a não ser que tenha outra da mesma espécie ao redor. Somos leais, sim, mas ai de quem pisar em nossos calos ou mexer com um dos nossos.
Gostamos de um afago, de um quê de romantismo. Mas homens que precisam de mais colo do que nós mesmas e que confundem a parceira com a mãe, sai de perto que é encrenca na certa.
Somos amorosas, carinhosas, compreensivas e sensíveis. Fortes, briguentas, possessivas e ciumentas.
Nos viramos em mais de cinco se preciso for, conseguimos fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, sentir todos os sentimentos ao longo de trinta minutos, enxugar as lágrimas e engolir a raiva, para pronunciar um despretensioso bom dia, pelo simples motivo de que chorando não nos mostramos para ninguém que não nos conheça há pelo menos alguns anos.
Somos amigas, amantes, mães, crianças, molecas, prendadas, nulidades no quesito lar doce lar, mas somos, acima de tudo, mulheres.
Para nos entender, somente outra, bem parecida conosco. Que sabe o que é sentir várias coisas ao mesmo tempo, falar e escutar ao mesmo tempo entre pelo menos mais duas mulheres, cozinhar enquanto fala ao telefone, administrar a casa, o trabalho, os filhos,o marido, o cachorro, sem contar a empregada, quando possível, sem nem ao menos perder o rebolado.
Somos assim, simples e complicadas. A mais perfeita sintonia entre o caos e a paz absoluta, o quente e o frio, a tristeza e a alegria, o amor e o ódio, o ser e o dever ser. Enfim, mulheres.

Um comentário:

Silvestre Gavinha disse...

É. Mulheres.
Bem vinda ao time.
Muito bom.
Beijinhos
Marie