quarta-feira, 13 de junho de 2012

Promessas

Vivo a fazer promessas. Esse post mesmo é o resultado de uma promessa. Fiquei tão feliz que minha amiga Mariana Alessi havia lido um texto antigo e adorado que prometi a ela escrever novamente no meu blog, em homenagem aos velhos amigos. E no fim minha promessa se arrastou por algumas semanas e eis-me aqui para cumpri-la. Pensei em escrever coisas nostálgicas, coisas engraçadas e até mesmo algumas melancólicas. Tentei amadurecer algum fato passado engraçado ou interessante que coubesse em um texto-história. Mas nada me ocorreu. Apenas que estava mais uma vez com uma promessa a cumprir. E nada. E aí...plim! Uma ideia! Sim, promessas. Passamos muito tempo prometendo tantas coisas a nós mesmos, aos nossos pais, aos nossos parceiros, aos nossos amigos. Prometo fazer exercício, prometo comer menos carboidrato, prometo me organizar, prometo te ligar para aquele café, prometo que é só esse chocolatinho nessa semana, prometo que não vou gastar muito nesse mês, prometo que vou guardar um dinheirinho, prometo, prometo, prometo. Nos afundamos em promessas, às vezes tentando mudar uma situação, tentando superar um defeito ou uma dificuldade de relacionamento. O que me ocorreu é que as promessas vão sempre existir, fazem parte. O que precisamos é de um pouco mais de atitude, pra tentar mudar e realmente fazer acontecer. Mas não estou aqui para dar lição de moral ou conselhos clichês. Sou campeã em fazer promessas e não cumprí-las, não por maldade, mas por falta de tempo ou até mesmo preguiça dependendo da ocasião. O que quero aqui na verdade é cumprir minha promessa com minha amiga querida e com tanto amigos que estão distantes, aqueles dos quais a minha saudade está sempre a me lembrar e a me instigar a fazer um convite para um café ou uma jantinha legal, a ligar só pra ouvir a voz mas que infelizmente tantas vezes não consigo realizar. Ai vai então, meus sinceros pedidos de desculpas, meu abraço carinhoso e, claro, a promessa de passarmos mais tempo juntos, de nos telefonarmos só pra dar um oi, porque e-mail não mata saudades, facebook não tem o olho no olho e nada supera a força que um bom café tem de aproximar as pessoas e desencadear os papos mais soltos e divertidos. Aos meu queridos amigos, então, meu eterno carinho e a promessa de nunca esquecê-los.