segunda-feira, 19 de junho de 2017

O amor e o reencontro

Perder-se por entre os medos
Encontrar-se em meio às dúvidas, incertezas e cacofonias
Saber-se humana mesmo que falha
E real em meio à toda a monotonia

E a graça de tudo o que a habita
Traduz-se em histórias e em rimas
Versos soltos e palavras não ditas
Nas entrelinhas que o amor recria e reedita

Porque de tudo o que já viu, fez e viveu
Esse amor parece ser
Sem dúvida e sem receio
O bem mais precioso que alguém já lhe deu