terça-feira, 27 de outubro de 2009

Casamento

Para os que acreditam que casar é coisa do passado, fatos que contradizem essa versão: quatro casais de amigos casarão entre novembro e abril do ano que vem, sendo que em dois eu e o maridão seremos padrinhos! Eu já casei e aconselho aqueles que ainda estão em dúvida: casar é bom e se você encontrou alguém que ama, que é bacana, companheiro e engraçado, já tem o mínimo necessário para um casamento engrenar. E não precisa ser de papel passado e tudo o mais, o que vale é a intenção do comprometimento.

Voltando

Em um sopro
Pelo cheiro e com um beijo
Me desfaço e me perco.
Mas te reencontro, pra me tirar do meu ponto
E me esquecer do que não ouso.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Meu Bonner

Mulheres do Brasil! Quem nunca se pegou pensando em ter um Willian Bonner em casa? Pois eu tenho, e o meu é loiro e de olhos azuis! Ontem assisti no GNT à Marilia Gabriela Entrevista, com o Bonner, aquele pedaço de mau caminho. Gente, o cara além de lindo, é O CARA, como diaria o Obama. Caxias assumido, bom pai e bom marido, responsável e comprometido, segundo palavras do próprio. Aí que enquanto escutava ele falando, fiquei com a impressão de que estava escutando outra pessoa falar, mas não era ele...céus! Me dei conta de que se colocasse um par de olhos azuis e um cabelo loirinho, quem era, quem era?? O maridão!!!Me dei conta que o meu querido também é super caxias, desses que a gente se orgulha sabe, é um cara super responsável e comprometido (com o trabalho, com a família, com os amigos, enfim, com tudo que faz e com quem vive)e além de tudo mega responsável. Teve um outro momento em que identifiquei meu amor com o Bonner: foi quando ele falou em respeito. Na verdade ele estava falando em respeito e comprometimento. Que tudo que ele faz é baseado nessas duas palavrinhas básicas. É comprometido com a família, o trabalho e tudo o que fizer, pois deve a eles respeito, sendo que uma coisa não pode ser dissociada da outra. Ele mencionou, também, que quando casou com a Fátima ele disse que a faria feliz, um comprometimento que ele segue até hoje, em respeito à família e sua amada. Não é fantástico? Pois bem, senhoras e senhores, complementando inclusive o post anterior (sobre o meu jardim e tudo o mais) eu tenho meu próprio Bonner em casa, que assim como o da telinha um dia se comprometeu em me fazer feliz (e eu à ele) e que com certeza vem cumprindo e respeitando essa promessa. Ah, que as lagartas me perdoem...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A grama do vizinho

É incrível a capacidade do ser humano de reinventar-se. Às vezes é assustador também. O reinventar-se é necessário, ainda mais quando há insatisfação. Mas quando vira doença, neurose, ligo o sinal de alerta e fico só observando quem está passando por esse tipo de transformação. Quem me conhece sabe que se minha vida fosse colocada em um gráfico, seria determinada por uma constante. Chatice? Mesmice? Rotina? Padronização ou conformismo? Nananinanão. Segurança, meus caros, estabilidade. De todos os tipos, prá quem quer saber. Emocional principalmente. E a certeza de que a minha grama é verde, viu? E foi plantada, e não comprada em uma loja de paisagismo. Para as lagartas que ainda precisam virar borboletas, minha boa sorte. Eu já tenho um jardim para voar.