quarta-feira, 4 de março de 2009

Tudo de novo

Março já chega atropelando, parece já haver passado um mês desde o fim das férias, quando na verdade foram 3 dias.
Sem muito tempo para pensar, deposita energias no trabalho, estudos, monografia e todo o resto que vem junto com o ano que inicia.
Pode ser que fique sumida, em recesso por um certo período. Tudo vai depender do grau de necessidade para desopilar da realidade que agita, grita e faz com que os dias sejam quase que automáticos, vividos na correria.
Pede desculpas aqueles que por aqui passam e nada encontram. Promete se esforçar, sem descuidar do objetivo principal do blog que aqui se encontra: parar, escrever, rever e desopilar.
Agora corre, porque o relógio continua, o tic-tac a persegue, como o coelho da Alice: Está atrasada, está atrasada, está atrasada... Mais um ano que se inicia.

3 comentários:

Leo disse...

Aaahh Claudia se esforça aí pra continuar com os textos!

Vc sempre escreve muita coisa bonita!

E o ano começou mesmo, então pé no acelerador, mas quando tiver que dar uma escapadinha pra descansar não esquece do seu blog aqui!

beijos

Silvestre Gavinha disse...

Claudinha Kridaaaa!!!!
Conheço tão bem esse refrão do coelho de Alice.... Ele, na verdade, sou eu... Mas já desisti de me exasperar, estou sempre atrasada e pronto.
Ainda há pouco li, num outro blog um poemeto sobre isso. Até ia comentar e depois não o fiz. (Não sobre isso.) Já me assumo. Meu atraso deve-se sempre ao fato que querer, como dizia minha avó, dar o passo maior que as pernas. Querer fazer mais coisas que posso e consigo. Quem me conhece já sabe. Sou folklorica. Estou atrasada na leitura dos blogs, estou atrasada na leitura das novas regras ortográficas, estou atrasada no meu sono.... Sou eu. Não posso reclamar de ninguém que demora a aparecer no blog. Venho, olho. E quando encontro, que delícia.
Muito obrigada pela visita e teus ditos no meu texto. "Ser mãe é sorrir em parafuso". Este é o título de um livro muito legal para jovens "pais". E é tããão certo.
É a dor e a delícia de toda mulher. Estes seres de encarnações finais que somos nós. Vale à pena. E a alma não fica pequena, mas dividida e apertada, dilatada e diluída... Só sendo.
Grande beijo.
Marie

Claudinha disse...

Oi Marie!
Atrasados, todos nós estamos, com a correria que se perpetua, as informações que chegam muito rápidas e toda a loucura que se instala em nossas vidas sem nem ao menos dar tempo para respirar...te compreendo...
Beijos:)