quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O meu lugar

Do tempo que às vezes insiste em passar mais rápido do que deveria
Tira e espreme toda a alegria e o entusiasmo
Por encontrar-se no lugar em que sempre deveria ter estado
Desde o princípio e o começo de tudo
Desde quando encontrou a primeira palavra e viu nela
Como quem assiste ao primeiro nascer do sol
O sentimento de total paz e felicidade
E encontro do que é seu
Tão seu que decide dividir com o mundo
Já que tanto sentimento transborda
E transcende
E invade e precisa de espaço
De outros olhares e outros saberes
Porque a palavra encontra
Em cada paragem e em cada encontro
Um novo sentido
Um novo estrondo
Um velho suspiro
O silêncio de espanto e o riso do novo
De ser, sentir e viver.
Com todo o coração e com toda alma.
Que agora se acalma mas nunca mais se cala.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Da série: convidados especiais

Aqui no Sem Cerimônias toda palavra que reflete sentimento é digna de ser publicada.
Um viva à minha comadre Amanda Casagrande, que "morrendo de vergonha" como ela mesma disse, me enviou seus sentimentos expostos em prosa e verso.
Esse espaço é de vocês também, meus queridos leitores e amigos! Quem quiser botar pra fora, sem cerimônias, o que passa aí do outro lado e já foi externado através das palavras, é só entrar em contato comigo e terei o maior prazer em publicar!


"E de repente tudo acaba.
 Sentimento de vazio. Palavras soltas. Frases repensadas.
 Lágrimas.
 Lembranças de momentos que não param de se repetir.
 Momentos bons, de risadas, de abraços, de  beijos e do amor.
 De repente nada faz sentido.
 O fim.
 Mais uma lágrima. Sentimento à tona.
 Saudade, saudade, saudade.
 Somente isso vai ficar."