domingo, 2 de novembro de 2008

Copiar e colar

Direto do blog da minha cara Bípede, alguém que ama livros tanto quanto eu, e que descreveu essa paixão com exatas palavras, o post "livros doces livros". De diferente, é que eu gosto da feira do livro de Porto Alegre. Quando morei na capital me deliciava andando por todos os corredores...o engraçado é que nunca comprei nenhum nessas andanças, mas nunca tinha parado para pensar nisso...mas vamos ao post da minha amiga virtual:


"Começou a feira do livro. Eu não gosto da feira do livro. E também não tenho nada contra quem gosta. Não aprecio porque escolher um livro é muito mais do que comprá-lo. Porque eu preciso olhar a capa, tocar o papel, cheirar as folhas e ler um trechinho até me decidir, e na feira tem de tudo, menos tempo e espaço. E é preciso interesse, para não dizer envolvimento, na hora de escolher um livro, porque eles carregam mais que histórias. Livros são como um lar, doce lar. Não são objetos inanimados e solitários, ainda que assim eles passem a maior parte do tempo. Eles nos abrigam e acolhem, oferecem facetas, sentimentos e idéias a qualquer hora e em qualquer contexto. Ignoram nossas olheiras, nosso mau-humor, nossas mesquinharias. Simplesmente se entregam e sempre. Nada como ler o mesmo duas, três, quatro, cinco vezes.Livros, quando de verdade, nos transformam e mudam, e como, dentro das próprias palavras."

Nenhum comentário: