segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A grama do vizinho

É incrível a capacidade do ser humano de reinventar-se. Às vezes é assustador também. O reinventar-se é necessário, ainda mais quando há insatisfação. Mas quando vira doença, neurose, ligo o sinal de alerta e fico só observando quem está passando por esse tipo de transformação. Quem me conhece sabe que se minha vida fosse colocada em um gráfico, seria determinada por uma constante. Chatice? Mesmice? Rotina? Padronização ou conformismo? Nananinanão. Segurança, meus caros, estabilidade. De todos os tipos, prá quem quer saber. Emocional principalmente. E a certeza de que a minha grama é verde, viu? E foi plantada, e não comprada em uma loja de paisagismo. Para as lagartas que ainda precisam virar borboletas, minha boa sorte. Eu já tenho um jardim para voar.

4 comentários:

taticastru disse...

Aí, eu queria estar assim tb.
Uma hora quem sabe eu consigo?
bj

Claudinha disse...

Tati,
o segredo é valorizar o que se tem, esquecer um pouco das coisas que estamos sempre sonhando e esperando, criando expectativas. o mais valioso é o hoje, sacas?
obrigada pela visita!

taticastru disse...

Eu tento e concordo, mais não consigo colocar em prática. Mais só de saber que isto é possível, já fico esperançosa e feliz.
Eu acho que já te falei né? Adoro os textos que vc escreve,
bjs

Daniella disse...

Claudia, eu não sabia desse teu dom! Escreves muito bem, adorei ler teus textos, vou aparecer mais vezes, hehe! Parabens! BjoO da Daniella Feliciano