sábado, 24 de janeiro de 2009

Raízes

O que te faz criar
Raízes
Tua terra?
Teu chão?
Os teus?
Não as cria
Elas já existem
Querendo ou não
Elas te prendem
Te alimentam
Te fazem ser quem tu és
Te fazem crer que és.
Arrancá-las
Impossível.
Apara os galhos que te incomodam
E vive a vida que é tua.

5 comentários:

Silvestre Gavinha disse...

É bem verdade Claudinha. Nossas raízes existem a despeito de nossa vontade. Tem vida própria ou são nossa própria vida. São quem somos e vão atrás da seiva que nos é adequada. Perceber seu movimento é um trabalho de geólogo, arqueólogo, escafandrista. Descobrirmos o caminho secreto no interior de nossa mágica cordilheira. E chegar no âmago do universo que somos. Teu poema mostra lindamente teu caminhar para a maturidade.
Beijo
Marie

bípede falante disse...

Oi, Claudinha! Como está indo de 2009? Eu estou me adaptando :) Voltei para Porto Alegre hoje. Na praia, a conexão era terrível. Gostei desse seu poema e vou pensar sobre o que me faz criar raízes.

Claudinha disse...

Olá meninas!
Marie, obrigada...esse poema surgiu numa manhã de sábado, em que eu havia acordado de um sonho muito nítido, em que eu repetia demasiadamente que minhas raízes estavam no meu chão, mas ficava me perguntando que chão era esse...sonhos e divagações...

Bípede! Quanto tempo!!
Eu também estou me adaptando a 2009... comecei a militar na advocacia, vamos ver o que me aguarda por esse caminho...

Beijos!!!

Claudinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo disse...

Isso tudo foi um sonho???

Eu sempre tento dar um jeito de jogar algumas raízes fora e tentar plantar outras. Só que é um pouco difícil, precisa de tempo, mas eu sei que época da colheita chegará..haha

beijos