terça-feira, 5 de maio de 2009

Tempo

Quanto tempo para perceber que você mudou? Anos, dias, horas. O tempo é inevitável, as mudanças são essenciais. Mas às vezes não nos reconhecemos. Ou será que apenas não nos percebemos? Quanto tempo para dizer o que realmente pensa. Quanto tempo para sentir o que realmente sente. Será isso a dita experiência? A maturidade? Mas quem nos garante que teremos tempo? E será ele suficiente? O que você deixa para depois, será feito no exato momento? Ou ele já terá passado e você, nem notado. Qual é o seu tempo? Quando estaremos prontos, quando o dia chegará, quando irá parar de fazer planos? Às vezes acho que vivemos em um eterno adiar. Adiamos sonhos por que não estamos prontos, ou nos falta grana, ou nos falta tempo. Adiamos um projeto porque está inacabado, imperfeito. Adiamos um carinho por que pode ser amanhã, uma palavra de conforto porque não estamos de bom humor. Uma gentileza porque nos falta paciência.
O que nos falta é olhar para dentro e sentir o que queremos nesse exato momento, no hoje. O problema é que nos falta tempo. Esse eterno tirano.

Nenhum comentário: