quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A Alma

Carrega consigo Como se fosse um abrigo A alma que habita Que clama, cala, grita Sonhos e dissabores De um corpo que ama.

Um comentário:

Bípede Falante disse...

que bonito :)
e que saudades!!!!

beijoss